A fusão de empresas pode representar uma excelente, rápida e rentável oportunidade de crescer. Quer conhecer: o que é uma fusão de empresas? Quais as 9 principais vantagens (sinergias)? Os 4 principais desafios a superar? Os tipos de fusões de empresas? Qual o processo para implementar uma fusão? Quais os profissionais necessários? 5 principais dicas para adicionar valor em uma fusão? Alguns exemplos de fusões?

Se você quiser conhecer a resposta a qualquer destas perguntas, este texto foi feito para você!

Boa leitura!

SUMÁRIO

Na CAPITAL INVEST – M&A Advisors, assessoramos com foco no valuation, na compra e na venda profissional de empresas médias ou grandes: i) de receita bruta anual entre R$20 milhões e R$2 bilhões, ii) com lucro líquido positivo, e iii) (idealmente) com boas perspectivas de crescimento.

Se este for o perfil da sua empresa, ou da sociedade que pretende avaliar ou da empresa que almeja adquirir, entre em contato através deste formulário.

A consequência das nossas parcerias em fusões e aquisições em mais de 50 países de 4 continentes, conseguimos vender a sua empresa no Brasil e no Exterior.

Trabalhamos com empresas e investidores de todo o Brasil. Ex: São Paulo, Minas Gerais, Paraná, Santa Catarina, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Bahia, Goiás, Espírito Santo, Ceará, Pernambuco, Amapá, Distrito Federal, Mato Grosso, Rio Grande do Norte, Mato Grosso do Sul, Tocantins, Pará, Piauí, Sergipe, Amazonas, Alagoas, etc.

Somos uma reputada boutique de M&A com presença global especializada em finanças corporativas, e teremos o maior prazer em agendar uma visita em nosso escritório localizado em pleno centro financeiro de São Paulo, SP, Brasil.

O FOCO DESTE ARTIGO: FUSÃO DE EMPRESAS

Fusão de empresas, que é o foco deste artigo, é a operação na qual uma empresa A e uma empresa B, normalmente do mesmo setor ou de setores próximos, são extintas para formar uma terceira empresa C. Quer dizer: (A+B) => C

A fusão de empresas é uma forma de reorganização empresarial, que no caso das sociedades anônimas está regulamentada pelo art. 228 da Lei das Sociedades Anônimas (Lei nº 6.404/76)

O termo Fusões e Aquisições (F&A) decorre do inglês Mergers & Acquisitions (M&A), que são meios para consolidação e reposicionamento de negócios.

fusão de empresas - merger

A fusão de empresas, que é um termo financeiro e também jurídico, não deve ser confundido com os seguintes termos:

  • Aquisições ou compra de sociedades, são operações nas quais uma empresa A (adquirente), compra uma participação em uma empresa B (adquirida), normalmente de menor tamanho. A aquisição dessa participação pode ser total ou parcial, maioritária ou minoritária. No caso de uma participação total, a empresa adquirida pode ser extinta e completamente integrada na adquirente (incorporação), ou pode operar de forma independente, com maior ou menor grau de integração na empresa adquirente. Em resumo: (A+Bi)=>A ou (A+Bi)=>A,Bd. Sendo Bi: B independente de A, e Bd: B dependente de A.
  • As aquisições “estratégicas” de empresas, costumam ser compras de participações maioritárias e totais de empresas, com integração das operações da empresa adquirida na empresa adquirente para assim efetivar as “sinergias”. Quer dizer: (A+Bi)=>A ou (A+Bi)=>A+Bc. Sendo Bi: B independente de A, e Bc: B controlada por A.
  • Incorporação de empresas, que é a operação pela qual uma empresa A adquire a totalidade das cotas de uma empresa B, e tem como consequência a extinção de empresa B.  Uma “incorporação” é um caso particular de “aquisição”, no qual a empresa adquirida é extinta. Quer dizer: (A+B) => A
  • Cisão de empresa, que é a operação por meio da qual uma empresa A transfere todo ou uma parte de seu patrimônio para uma ou mais sociedades. Quer dizer: A => A,B; ou A =>B,C
  • Joint Ventures, que é a operação na qual duas empresas decidem criar uma terceira, com um propósito específico, que funcionará de forma independente a suas sócias. Quer dizer: A,B => A,B,C (sendo C participada por A e B).

Este artigo está focado na fusão de empresas com as vantagens e o procedimento que será explicado a continuação.

VANTAGENS DA FUSÃO DE EMPRESAS: OS 9 TIPOS DE SINERGIAS

Existem inúmeros “racionais” ou vantagens para uma fusão de empresas.

Alguns dos “racionais” que normalmente justificam uma fusão de empresas são:

  • Sinergias decorrentes da fusão de empresas (ver detalhe abaixo)
  • Consolidação do mercado
  • Crescimento para conseguir economia de escala
  • Redução da concorrência ao se fusionar com um concorrente (fusão de empresas concorrentes).
  • Diversificação geográfica
  • Redução de custos após a fusão de empresas. Ex: custos administrativos, diluídos entre uma receita maior.
  • Créditos tributários de uma das empresas fusionadas
  • Etc.

Existem 9 tipos de sinergias que costumam estar presentes na fusão de empresas:

1.- Sinergias de Distribuição.

As grandes redes de varejo e distribuição (canais) costumam restringir o número de fornecedores. Portanto fornecedores maiores (como é o resultado da fusão de empresas) conseguem acessar mais facilmente aos grandes varejistas e distribuidores.

2.- Sinergias Comerciais.

Quando as duas empresas fusionadas tem acesso a canais e clientes diferentes, elas conseguem fazer “cross selling” ou venda cruzada.

3.- Sinergias no Atendimento.

Ainda é possível unificar e melhorar o nível de atendimento a clientes (CRM em inglés) para todo o portfólio de produtos das empresas fusionadas.

Sinergias em fusão de empresas

4.- Sinergias Financeiras.

Normalmente empresas maiores (como é o resultado de uma fusão de empresas) costumam dispor de melhores condições de financiamento dos bancos.

5.- Sinergias Operacionais.

A fusão com uma empresa mais eficiente, ou com melhor tecnologia possibilita a  incorporação de melhores práticas (“best practices“). Ainda fusão de empresas e o consequente aumento de tamanho, pode implicar em economias de escala operacionais.

6.- Sinergias de Marketing.

A marca de empresa fusionada, tende a ser mais conhecida entre um público alvo maior.

7.- Sinergias Administrativas.

O aumento da escala derivado da fusão de empresas permite diluir os custos administrativos entre uma receita maior.

8.- Sinergias Estratégicas.

O crescimento “inorgânico” (via aquisição ou fusão de empresas) permite crescer mais rapidamente, e pode diminuir riscos, do que o crescimento “orgânico” (via investimentos internos). Outra sinergia estratégica pode ser a consolidação via M&A de um segmento de mercado para diminuir o nível de concorrência.

9.- Sinergias Fiscais.

Uma empresa pode reduzir sua tributação se fusionando com outra que apresente prejuízos acumulados.

OS 4 PRINCIPAIS DESAFIOS NA FUSÃO DE EMPRESAS

Os 4 principais desafios de uma fusão entre empresas são:

  1. Integração das culturas empresariais
  2. Preservar e rentabilizar a base de clientes
  3. Integração de processos e de TI
  4. Selecionar e preservar os melhores talentos
Desafios em fusão de empresas

1.- Integração das culturas empresariais

Quando uma fusão de empresas não gera os resultados esperados, o principal motivo é a “incompatibilidade das culturas empresariais”.

Por exemplo, no segmento de equipamentos brasileiro, a fusão em 1992 entre a Dedidi (com uma cultura hierárquica) e a Zanini (com uma cultura participativa), não funcionou conforme esperado, pois os principais executivos da Zanini não se adaptaram à cultura empresarial da Dedini e terminaram criando empresas concorrentes.

2.- Preservar e rentabilizar a base de clientes

Conforme explicado previamente, existem vários tipos de sinergias, e é necessário contar com um time experiente responsável pela sua efetivação, muito especialmente com as sinergias relacionadas com os clientes.

De um lado é necessário comunicar adequadamente as mudanças aos clientes, e preservar a qualidade do atendimento, muito especialmente aos clientes em comum das empresas fusionadas, para assim efetivar as “sinergias de distribuição” e as “sinergias de atendimento”.

De outro lado, e chave oferecer aos clientes os produtos complementares das empresas fusionadas para assim efetivar as “sinergias comerciais” ou de “Cross selling”.

3.- Integração de processos e de TI

A nova sociedade deverá decidir quais processos e tecnologias, entre as empresas fusionadas, são mais adequados para a operação conjunta.

É necessário portanto contar com especialistas em processos e em tecnologia que ajudem a empresa a definir quais os melhores processos de sistemas informáticos, e a implementar a unificação deles.

4.- Selecionar e preservar os melhores talentos

Uma vez que a fusão entre empresas se torna pública, os principais talentos da empresa resultante da fusão sabem que será necessário eliminar duplicidades. Ex: 2 diretores de vendas, 2 diretores de operações, 2 diretores de TI, etc. É necessário decidir rapidamente qual o time executivo da empresa fusionada, antes de que os melhores talentos procurem oportunidades no mercado.

TIPOS DE FUSÕES DE EMPRESAS

Existem os seguintes tipos de fusão de empresas em função dos setores e as atividades das empresas fusionadas:

  • Fusão horizontal: acontece entre empresas concorrentes do mesmo setor, com o intuito de aumentar a participação de mercado.
  • Fusão vertical: é a união de empresas não concorrentes do mesmo setor visando oferecer uma solução conjunta. Normalmente atuam em segmento contíguos da “cadeia de valor” (uma é cliente da outra).
  • Conglomerado: é a fusão de empresas de setores diferentes, com o intuito de diversificar os negócios
Dicas em fusão de empresas

A fusão de empresas horizontal também pode ser classificada em função do objetivo da transação:

  • Fusão de extensão de mercado: quando as empresas fusionadas operam em regiões geográficas diferentes, o objetivo da fusão é atingir uma base de clientes maior.
  • Fusão de extensão de produto: quando as empresas fusionadas comercializam produtos complementares, o  intuito da fusão e expandir a base de produtos.

AS 7 ETAPAS FUNDAMENTAIS DO PROCESSO DE FUSÃO DE EMPRESAS

O processo de fusão de empresas médias ou grandes, corretamente assessorada por um consultor especializado em venda de empresas, segue uma sequencia de etapas que já está padronizado no mercado:

As 7 etapas de um processo de fusão de empresas
As 7 etapas de um processo de fusão de empresas

1.- Estudo de mercado “pre-deal”

Conforme previamente explicado, antes de entrar no “Deal” (ou processo de fusão de empresas) é muito importante avaliar todas as opções do mercado para escolher os “targets” mais alinhados com a sua estratégia e cultura empresarial.

2.- Preparação para a fusão

É muito importante tomar alguns cuidados mesmo antes de começar o processo de fusão.

Conforme explicado previamente, é necessário verificar os principais riscos da fusão, principalmente os relacionados com as culturas empresariais das empresas a serem fusionadas.

De outro lado é muito importante fazer uma estimativa quantitativa inicial das sinergias.

O intuito é entender de uma forma preliminar se o retorno potencial da fusão compensa os riscos.

É também importante entender nesse estágio o alinhamento das partes envolvida “stakeholders” com o processo de fusão. Não apenas os sócios das empresas envolvidas, como também funcionários, credores, fornecedores, clientes, etc.

Uma vez as sociedades terem concordado em iniciar o processo de fusão de empresas, é necessário assinar um Acordo de Confidencialidade (“NDA” em inglês) e trocar informações financeiras, estratégicas e operacionais para implementar o plano de fusão.

3.- Avaliação Econômica ou “Valuation” das empresas

Essa é a hora de calcular o quanto valem as empresas que serão fusionadas. Existem três metodologias de valuation: pelo valor de seus ativos e passivos (Asset Value), pelo valor de empresas comparáveis (Múltiplos), e pela sua capacidade de gerar caixa nos próximos anos (Fluxo de Caixa Descontado, ou Discounted Cash Flows, DCF, em inglês). Sendo esta última, a metodologia de avaliação mais usada no mercado financeiro.

Assim, você precifica o seu negócio. Contratar uma consultoria especializada em avaliação e venda de empresas para te ajudar nesse processo é a melhor alternativa, pois poderá lhe ajudar a avaliar as empresa a fusionar (Valuation) da forma profissional e que será aceita pelos sócios das empresas envolvidas.

Quer saber mais sobre o assunto? Apenas ler estes outros artigos:

4.- Negociação da fusão

Avaliadas as empresas, é necessário acordar com os acionistas os pontos principais do acordo de fusão, entre outros a “relação de troca” das ações ou das participações das empresas envolvidas, que deverá estar baseado no valuation das empresas.

5.- Aprovação da proposta de fusão

Finalizada a proposta de fusão, esta deverá ser aprovada pelos sócios das empresas envolvidas.

6.- Due Diligence (DD):

Uma vez aprovada a proposta de fusão, deverão ser confirmadas as “premissas” legais, financeiras e operacionais das empresas envolvidas, com o objetivo de confirmar os dados nos quais está baseada a proposta de fusão,  o valuation da companhia. Também é importante confirmar os principais riscos ou “passivos”.

7.- Assinatura do acordo de fusão:

Verificadas as premissas, e se necessário, ajustada a proposta de fusão, os advogados (assessores legais) negociam os termos do acordo de fusão, que dependerão fortemente do tipo de sociedade, para aprovação final.

PROFISSIONAIS ENVOLVIDOS EM UMA FUSÃO DE EMPRESAS

A fusão de empresas requer profissionais com experiência, especializados em determinadas disciplinas e que atuem de forma complementar.

Etapas e profissionais de um processo de fusão de empresas
Etapas e profissionais de um processo de fusão de empresas

Consultoria Estratégica ou Assessor Financeiro em M&A que também presta serviços consultoria pre-fusão

Conforme explicado, o estudo de mercado prévio à fusão de uma empresa já existente, é um trabalho de consultoria com objetivo de mapear todos as potenciais empresas “alvo da fusão” e, obter e analisar informações públicas e privadas sobre elas, principalmente através de entrevistas. O objetivo final é priorizar estes “targets” de fusão em função de seu alinhamento com a estratégia e a cultura do adquirente e o potencial de sinergias.

Este trabalho envolve tanto “know how” de “consultoria”, quanto “know how” de “M&A” (“Mergers&Acquisitions”) e pode ser realizado por:

A principal diferença entre as duas alternativas:

  • O investimento, pois o valor da contratação de Empresas de Consultoria Estratégica é maior do que o de boutiques de F&A. Isto ocorre, pois, o estudo de mercado facilitará enormemente as chances de sucesso da transação (que é a base principal da remuneração das boutiques de F&A).
  • Adicionalmente, uma boutique de F&A que tenha elaborado o “estudo de mercado” partirá com vantagem nas fases posteriores da transação, pois, já conhecerá profundamente o “target”, sua reputação no mercado, seus clientes, fornecedores, etc. Informações imprescindíveis para se conseguir fechar um acordo “win-win” entre as empresas fusionadas.

Caso você escolha a segunda opção (Boutique de F&A/ Assessor Financeiro “especializado”) apenas verifique e certifique-se de que ele, além de know how em fusões de empresas, também tem experiência em consultoria estratégica, indispensável para fazer um “estudo de mercado” de qualidade.

Assessor Financeiro em fusão de empresas: Boutique ou Banco

Uma consultoria especializada em fusões de empresas pode lhe auxiliar em todas as etapas do “Deal” (ou processo de fusão de empresas):

  • Preparação para a fusão, incluindo uma análise preliminar dos principais riscos e benefícios (sinergias) da fusão, os primeiros contatos e a assinatura de um acordo de confidencialidade.
  • Valuation das empresas a serem fusionadas. O seu assessor (ou consultor) em valuation / M&A / inicialmente calculará o valor do “target” de forma isolada, e posteriormente precisará da colaboração de seu financeiro ou área de desenvolvimento com o intuito de quantificar as “sinergias”.
  • Negociação financeira da proposta de fusão. O consultor (ou assessor) em M&A terá contato direto com os sócios das empresas envolvidas, com o intuito de entender seus anseios e objetivos, e posteriormente lhes ajudará a formular uma “proposta de fusão” win-win, que cubra tanto os anseios e objetivos dos sócios das empresas como de outras partes envolvidas (“stakeholders”) tais como credores, funcionários, clientes, fornecedores, etc
  • Aprovação da proposta de fusão. Alcançado um acordo final, o seu assessor financeiro, em conjunto com um assessor jurídico especializado em M&A, formalizarão a aprovação da proposta com uma “LOI” ou “Letter of Intent” ou documento similar.
  • Due Diligence. O seu assessor em fusões de empresas poderá coordenar os auditores, advogados e pessoal operacional na Due Diligence Financeira, Legal e Operacional respectivamente.
  • Negociação Legal. Seu consultor financeiro em fusão de empresas em funcionamento poderá auxiliar seu assessor legal (que lidera esta fase) na formalização final do acordo de fusão.

Auditores

Você precisará contratar auditores que analisarão os principais riscos financeiros e fiscais da das empresas a serem fusionadas, e verificarão se os dados contábeis (nos quais o consultor em avaliação de empresas baseou o seu “valuation“), refletem a realidade financeira e patrimonial da empresa a ser adquirida.

Assessor Legal

Você necessitará contratar um bom time de advogados com especialidades complementares (principalmente contratual, societário e trabalhista), e experiência em “M&A”/ fusão de empresas com o intuito de lhe auxiliar a:

  • Identificar e quantificar os principais riscos da aquisição (durante a fase de Due Diligence).
  • Negociar a formalização final da fusão, alinhado com a “proposta de fusão”.

É recomendável que o advogado participe desde a aprovação da “proposta de fusão” para considerar as implicações legais.

Já para a assinatura do NDA, assunto bastante simples e padronizado, você apenas precisará da anuência de seu jurídico.

5 DICAS PARA FAZER UMA BOA FUSÃO DE EMPRESAS

Para que uma fusão de empresas gere valor para todas as partes envolvidas (“stakeholders”) é preciso cuidar de cada uma das fases do processo de fusão de empresas.

acordo em fusão de empresas

1.- Não prescinda do estudo de mercado

É fundamental avaliar todas as alternativas ou “targets” de empresas candidatas a serem fusionadas. Considere não apenas o potencial de sinergias assim como os potenciais riscos envolvidos, muito especialmente as diferenças culturais.

2.- Avalie cuidadosamente o as empresas envolvidas

Com o intuito de calcular quanto vale cada umas das empresas, é necessário conduzir um processo detalhado de valuation.

Para mais detalhes sobre as diferentes metodologias usadas para avaliar empresas você pode ler estes artigos:

3.- Faça acordos win-win

Para uma fusão dar certo, tem que ser boa para todas as partes envolvidas, principalmente para os sócios das empresas, e também para outros “stakeholders” tais como credores, funcionários, clientes e fornecedores.

É preciso considerar todos os lados, e sobretudo considerar de uma forma transparente e profissional as vantagens (sinergias) assim como os possíveis riscos.

4.- Comece a planejar a “integração post-fusão” desde o primeiro dia

O intuito final de uma fusão é criar valor através de sinergias. Esse pensamento deve estar presente em todas e cada uma das etapas da fusão, escolhendo empresa com maior potencial de sinergias, avaliando seu potencial desde a preparação da fusão, incluindo-as no valuation, compartilhando essas estimativas na negociação da fusão, etc.

Entretanto de nada serve uma avaliação de sinergias se finalmente as empresas fusionadas não conseguem atingi-las. Por este motivo, além de considerar e quantificar as sinergias, é também necessário planejar sua implementação, durante a fase conhecida como “integração post fusão” (“PMI” ou “Post Merger Integration” em inglês).

Por este motivo é crucial planejar o PMI (ou execução das sinergias) desde o primeiro dia.

5.- Contrate profissionais especializados em fusão de empresas

Conforme explicado, a fusão de empresas é uma operação sumamente complexa que requer profissionais altamente qualificados. Ex: assessor financeiro especializado em M&A, auditores, advogados especializados em fusões e aquisições, etc.

Exemplos de fusões de empresas

EXEMPLOS FUSÕES DE EMPRESAS NO BRASIL

Não faltam exemplos de empresas brasileiras que se fusionaram para superar novos desafios.

Confira algumas das principais fusões dos últimos anos:

A fusão Raia Drogasil

A RaiaDrogasil, foi constituída em 2011 a partir da fusão entre a Droga Raia e a Drogasil, duas das mais importantes marcas do varejo farmacêutico brasileiro.

Atualmente a RaiaDrogasil é a maior rede de drogarias do Brasil e o 5º maior grupo varejista Brasileiro, e possui mais de 1.800 lojas em 22 Estados, com 12,9% de participação de mercado no varejo farmacêutico.

A fusão ocorreu num momento em que o setor de farmácias experimentava um processo de consolidação, que poderia prejudicar tanto a Raia como a Drogasil caso não tivessem acordado a fusão:

  • Em 2009, o banco BTG Pactual criou o grupo BR Pharma, que adquiriu várias redes de drogarias pelo país.
  • As concorrentes Drogaria São Paulo e Pacheco fundiram-se no mesmo ano da fusão (2011) e criaram a segunda maior rede de farmácias do país.
  • Dois anos depois da fusão a gigante americana CVS comprou a Onofre.

A fusão Itaú com Unibanco

Itaú Unibanco S.A., o maior banco brasileiro, foi criado em 2008 a partir da fusão entre o Banco Itaú e o Unibanco, duas das maiores instituições financeiras do país, resultando no maior conglomerado financeiro do hemisfério sul e num dos 20 maiores do mundo em valor de mercado.

Antes da fusão o Bradesco estava na liderança do segmento bancário, sem concorrentes à altura, y alguns bancos estrangeiros sinalizavam apetite de aquisições.

A fusão foi um movimento estratégico para se fortalecer perante a concorrência.

A fusão BM&FBOVESPA + CETIP formando a B3

A B3 surgiu em 2017 após a fusão da BM&FBOVESPA  (Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros de São Paulo) com a CETIP  (Central de Custódia e de Liquidação Financeira de Títulos).

Adicionalmente a BM&FBOVESPA havia surgido em 2008, quando houve a fusão da Bovespa  (Bolsa de Valores de São Paulo), cuja criação remonta a 1890, e a BM&F  (Bolsa de Mercadorias e Futuros), fundada em 1917.

A B3 está ligada a todas as bolsas de valores brasileiras, incluindo a Bolsa de Valores do Rio de Janeiro (BVRJ), onde são negociados apenas títulos, sendo uma entidade autorregulada que opera sob a supervisão da Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Fusão de Empresas

RESUMO E CONCLUSÕES SOBRE FUSÃO DE EMPRESAS

Como vimos, as vantagens de uma fusão de empresas, são normalmente as sinergias geradas na fusão. Ex:  de distribuição, comerciais, de atendimento, financeiras, operacionais, de marketing, administrativas, estratégicas, fiscais, etc.

Entretanto como todo processo complexo, não está isento de desafios a superar. Entre outros a integração das culturas empresariais, preservar e rentabilizar a base de clientes, integração de processos e de TI, e selecionar e preservar os melhores talentos.

As fusões podem ser classificadas em horizontais, verticais ou conglomerados, e as horizontais podem ter como objetivo estender a base de clientes ou o leque de produtos.

Já o processo para implementar uma fusão normalmente conta com 7 etapas: estudo de mercado, preparação, valuation, negociação, aprovação, “due diligence” e negociação legal.

Nestas 7 fases é preciso contar com profissionais adequados tais como assessor financeiro, auditores e assessor legal.

Em resumo: o processo de fusão é complexo, porém os benefícios costumam compensar todo o esforço necessário, pois a fusão de empresas pode representar uma excelente, rápida e rentável oportunidade de crescer.

CONSULTORIA CAPITAL INVEST – M&A ADVISORS

Nós da CAPITAL INVEST – M&A Advisors somos uma consultoria especializada em M&A que soma mais de R$ 20 bilhões em fusões e aquisições, comprar empresa e vender empresa , ao longo de mais de duas décadas.

Por meio de nossa ampla experiência, conhecimento de diversos setores, e time fortemente motivado, prestamos um serviço de consultoria M&A específico para maximizar a relação retorno/risco de seu investimento na aquisição de uma empresa. Ainda nossos serviços em compra de empresas podem incluir o estudo de mercado necessário para priorizar os potenciais “targets” (e assim conseguimos evitar a destruição de valor derivada de iniciar um “deal” com um “target” que não é ideal).

Ainda, caso você procure a venda da sua empresa ou filial, através de parcerias mais de 50 países de quatro continentes, podemos te auxiliar a preparar a sua empresa para a venda, avaliar e vender a sua empresa de uma forma profissional, no Brasil e no Exterior com o intuito de obter o melhor valor.

Nosso foco é a prestação de serviços de assessoria em avaliação de sociedades, compra e venda de empresas médias ou grandes: i) de receita bruta anual entre R$20 milhões e R$2 bilhões, ii) com lucro líquido positivo, e iii) (idealmente) com boas perspectivas de crescimento.

Se este for o perfil: a) da sua empresa à venda, ou b) da empresa que procura adquirir ou c) avaliar, entre em contato através deste formulário, que nós podemos te ajudar nesse processo!

Se este for o perfil: a) da sua empresa à venda, ou b) da empresa que procura adquirir ou c) avaliar, entre em contato através deste formulário, que nós podemos te ajudar nesse processo!


ENTRE EM CONTATO

Na CAPITAL INVEST – M&A Advisors, assessoramos financeiramente no valuationcompra, e venda profissional de empresas médias ou grandes: i) de receita anual entre R$20 milhões e R$2 bilhões, e ii) com lucro líquido positivo, para avaliar e/ou comprar e/ou vender sua empresa no Brasil ou no Exterior.

@2020 | CAPITAL INVEST – M&A Advisors | All rights reserved

Rolar para cima